LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Quantas vezes?

[ J.Vitor ]



Para falar de vida falarei de um moribundo que vagueia. 
Diferente[mente] das vezes em que estive vivo, "algumas vezes…"
carreguei-me, arrastei destroços de mim mesmo: 
refiro-me a paixões que me matavam, e eu, capengando, 
erguia-me do choro, tomava nos braços a desilusão,
saía pelo tempo, entrava no templo da espera aguda. 
As lições de cada porte construíam o homem,
prevenia-lhe sobre os desenganos na escada do futuro.
...Não sei falar de uma única vida!
também não sei quantas vezes se escasseia um coração...
Tive mortes imprevistas, tive outras que o descaso marcou a data do óbito.
Hoje, na quaresma dos janeiros, está delegada a decepção do pretenso poeta,
Fica registrado neste papel a fatalidade de viver o mundo sem ter amigos!
Morrerei aqui e agora até que no blog[ar] da ressurreição eu volte.