LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 31 de janeiro de 2015

Ficar quieto

Quantas vezes tive que vestir a casaca do bobo — ficar quieto como se os meus ouvidos fossem débeis. O sangue fervilha na têmpora, o coração jorra fel, a amargura da resina chega na garganta.
Nestes momentos de fecha, há debaixo do céu uma coisa que nos adocica a boca: ficar quieto, olhar nos olhos do afrontador e torturá-lo com o silêncio… Ele vai se abrandando como marruá que é, a cada olhar calado a verga do seu pescoço se quebra um tanto, a tortura vai ficando intensa; os galhos em sua cabeça tornam-se uma vaidade vencida; O urro perde a magnitude; perde o brio e sem mais resistir, deita-se na arena; só que agora, me olha, e olhando no fuzil dos meus olhos, enxerga força, sabedoria, e não mais o primeiro bobo!