LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Insônia

Nas noites de insônia
O corpo reclama, inquieta-se na cama,
O lençol embola na coberta,
E o sono viaja na monotonia.

Os ruídos vão para as telhas.
Nascem estalidos nas madeiras,
Gotas nos furos da calha.
O relógio repete a hora terceira.

A lua vem morar no quarto
Entra pela fresta.
A gata namora no coberto...
Faz verdadeiro sarau de festa.

Pelas horas da madrugada
Os ruídos vão embora.
O sono deita na revoada
E a manhã vem sonora.


de  José Vitor